Início » O que é email blacklist check e porque você deve incorporá-lo nas suas estratégias

O que é email blacklist check e porque você deve incorporá-lo nas suas estratégias

Email blacklist check deve estar presente nos planejamentos de todos os profissionais de email marketing. Isso porque seu IP ou domínio pode estar listado em uma lista negra sem que você saiba!

E quando você perceber, as taxas de entrega despencam, o número de emails sendo devolvidos aumenta e uma série de outros danos atingem os investimentos.

O recomendado é fazer um email blacklist check regularmente. Dessa forma, é possível acompanhar a saúde do seu email marketing e detectar possíveis problemas logo no início.

Mas antes de você colocar isso em prática, vamos entender porque você pode parar em uma lista negra mesmo sem saber.

Por que você pode estar em uma lista negra, mesmo fazendo tudo certo?

Tudo começa com o bloqueio dos provedores. Cada um deles tem sua própria blacklist com critérios distintos. Porém, todos eles têm elementos em comum. Vamos ver quais são:

  • Botão de descadastro: o usuário pode se irritar se o seu botão de descadastro não estiver em uma posição bem clara no layout do email, forçando-o a fazer uma verdadeira busca para encontrá-lo.

É importante lembrar que o botão “descadastrar” sinaliza o desinteresse do lead em continuar recebendo seus emails. Se ele optou pelo descadastro e continuar recebendo mensagens, o nível de irritação pode aumentar.

E usuários irritados clicam no “Denunciar Spam”; um botão bem pior que o descadastro. Portanto, respeite as decisões do seu lead, pois muitas reclamações de spam levam às listas negras.

  • Volume de emails: outro motivo que leva remetentes distraídos às blacklists é o alto volume de emails disparados. Quem trabalha com email marketing sabe que os envios devem respeitar escalabilidade.

Em outras palavras, se suas listas contém provedores gratuitos, comece pequeno e vá crescendo o envio de emails aos poucos, para que o provedor entenda que a sua lista não foi comprada, e sim, construída gradativamente, como deve ser.

Envios muito grandes repentinamente sinalizam listas não criadas por conta própria, e sim, adquiridas de fontes comerciais. E vale lembrar que listas compradas sofrem duras penalizações, como a inclusão nas blacklists públicas e privadas.

  • Bounces: são emails que não conseguem ser entregues por motivos temporários (que podem ser corrigidos com o tempo) ou permanentes (spamtraps, por exemplo).

Bases que contém pelo menos 3% de bounces são imediatamente bloqueadas. Portanto, fique atento à qualidade das suas listas fazendo verificação de emails frequentemente. Abra sua conta agora mesmo e mantenha-se longe das blacklists!

Tipos de blacklists

Veja quais são os três tipos de lista negra e deixe seu email marketing bem longe delas:

  • Blacklists dos provedores de emails: acabamos de falar sobre elas. são os bloqueios que o email marketing sofre naquele provedor (Gmail, Yahoo etc.). Por exemplo: uma lista de emails cheia de bounces tem o IP ou o domínio enviador bloqueados. E se isso for recorrente, o provedor pode, além de manter o remetente bloqueado em sua própria lista negra, enviá-lo para blacklists públicas ou particulares.
  • Blacklists públicas: são listas que notificam ao mercado quais endereços são spammers. Ou seja, IPs ou domínios que fazem parte desse grupo não são confiáveis. As blacklists públicas são consultadas constantemente pelos provedores de emails e blacklists particulares, que registram as informações em seus filtros antispam.
  • Blacklists particulares: são empresas ou serviços web que configuram seus próprios filtros antispam para bloquearem endereços suspeitos de disseminar spams. São mais comuns em bancos, grandes empresas, serviços do governo, entre outros agentes que precisam de um sistema de segurança e proteção de dados mais robusto.

Em resumo, blacklist é um assunto muito sério e representa um grande prejuízo nos investimentos, pois, uma vez listado, o remetente tem sua comunicação por email literalmente cortada. Isso sem contar com o fato de não conseguir se aproximar de leads novos.

Como fazer email blacklist check

Checar se o seu IP ou domínio estão em uma blacklist nada mais é que prestar atenção se as reclamações de spam aumentaram e, principalmente, saber o porquê disso.

Em outras palavras, significa não ser pego de surpresa, como podemos ver no parágrafo anterior. Mas além de ficar ligado no comportamento do seu usuário e também das suas campanhas, é preciso consultar algumas plataformas de divulgação de blacklists.

A BlacklistAlert, MultiRBL, e MXToolBox são algumas plataformas de consultas gratuitas mais populares e eficientes do mercado.

A validação de emails é a forma mais segura de fazer email blacklist check automaticamente, uma vez que os endereços suspeitos não fazem parte das listas que passam pela verificação.

Assim, você não corre risco de sofrer bloqueio dos provedores e posterior inclusão em uma blacklist pública ou privada por causa de emails inválidos.

Saiba quais são os impactos dos emails inválidos nos resultados do seu email marketing assistindo ao nosso webinar!

O COO da SafetyMails e autoridade nesse assunto, Rodrigo Gonçalves, analisa o tema e tira todas as suas dúvidas!

Tudo sobre o impacto dos emails inválidos nas suas estratégias de email marketing

Email blacklist check: conclusão

Para ficar longe das blacklists, siga as boas práticas de email marketing:

  • Construa uma lista de emails saudáveis, através da solicitação da permissão dos usuários (Opt-In).
  • Mantenha o botão de descadastro acessível e, caso isso ocorra, procure saber o porquê.
  • Cuidado com a linha de assunto dos emails: observe as palavras, para que não sejam suspeitas, como “última chance”, por exemplo.
  • Siga os padrões de tamanho de imagens exigidos pelos provedores (500Kb deve ser o máximo).
  • Jamais compre ou troque listas de emails.
  • Faça verificação em suas bases frequentemente.

FAQ

Por que profissionais de email marketing devem fazer email blacklist check?

A checagem de blacklist significa estar atento ao comportamento das campanhas de emails e também dos usuários. Altas taxas de descadastro sinalizam insatisfação, por exemplo. O quando o profissional está vigilante, o problema é detectado logo no início e assim, a inclusão nas listas negras pode ser evitada. Isso sem contar com os grandes prejuízos, que também podem ser impedidos.

O que leva um IP ou domínio a ser classificado como spammer?

Bounces, reclamações de spam, grandes volumes de envios, bases compradas, spamtraps, listas contendo emails descartáveis e outros fatores podem classificar um remetente de email marketing como spammer.

Quais são os tipos de blacklist?

As listas negras do provedores, que são os bloqueios; as blacklists públicas, que notificam quais IPs e domínios são disseminadores de spams e as listas negras particulares, mais comuns em grandes empresas, bancos e serviços que precisam de um sistema de proteção de dados mais resistente.

Como saber se meu IP ou domínio está listado em uma lista negra?

Além de observar o comportamento do email marketing através da queda na taxa de entrega, o profissional pode consultar plataformas de divulgação de blacklists, como BlacklistAlert, MultiRBL, e MXToolBox.