Início » 9 dicas pra seu e-mail marketing rodar redondinho e ter mais engajamento
1 a 9 as ferramentas mais importantes

9 dicas pra seu e-mail marketing rodar redondinho e ter mais engajamento

Não sabe? Vamos contar juntos. Veja os nove pontos que selecionamos para você começar o seu e-mail marketing com o pé direito, e mais engajamento no email marketing!

1.você tem a ferramenta de e-mail marketing que atende tudo que você precisa do jeito que você precisa?

Nem todo mundo precisa das mesmas coisas. Se você tem uma equipe básica e usa recursos básicos vai no básico. Não adianta comprar uma ferramenta de e-mail marketing com um plano acima. Você provavelmente não vai usar.

Para determinar o que precisa, faça uma listinha, levando em conta seus processos atuais:
. Quais processos quer simplificar?
. Como quer otimizar o relacionamento?
. Que rotinas conseguirá automatizar?
. Qual custo x benefício esperado?

Se você vai trocar de ferramenta de e-mail marketing, veja o que é realmente foco da tecnologia e o que foi problema da administração da tecnologia. Por exemplo: Não é uma ferramenta de envio de e-mail marketing que faz sua campanha cair no spam. É como você está tratando a sua lista de e-mails…

Mas um item importante é a capacidade de integração dessa ferramenta com outros recursos, como nossa ferramenta de verificação de e-mail em tempo real. Assim, sua lista está sempre com a validação feita e você não tem sua campanha bloqueada por excesso de bounces.

2. Sabe exatamente quem é seu público para essa campanha? Qual público trará mais engajamento?

Você acha que o conteúdo vai engajar geral? Ou é só para uma parcela da sua lista total? Então, olha as informações da sua base e seleciona quem é mesmo que vai se beneficiar da sua comunicação. Lembre-se que diferenças que parecem pequenas podem se mostrar enormes. Uma campanha em que você seleciona: vai para quem é pai. Pai de… Adolescente não quer receber conteúdo de pai de recém-nascido. Os problemas são outros, as soluções, em geral, também. Mas, claro, ambos têm em comum a preocupação em prover um ambiente seguro para o filho. Relativize.

Uma boa maneira de fazer isso é se colocar no lugar de quem recebe o seu e-mail marketing: se eu fosse (características gerais do perfil…) eu abriria? Ia ler? Ia clicar? Ia completar o call to action?

3. Com perfil de público ajustado, como deixar igualmente claro o objetivo da sua ação?

Para quem recebe. E também, claro, para a sua empresa? E as perguntas que regem esse passo são:
. O quê?
. Para quem?
. Como?
. Para quê? Vender? Agitar o relacionamento?

Essas perguntas vão guiar sua linguagem: vai contar uma história? Vai só vender? Sua ação promocional pode ficar com cara de vendas, seu e-mail de conteúdo pode parecer meramente transacional. E um reduz o seu desempenho de aberturas e cliques.

Se você já conhece seu público, lembre-se de passar os olhos nas campanhas que mais funcionaram e nas que não funcionaram. E traga para esse material o que faz sentido. A taxa de abertura e o número de cliques vão depender dessa combinação.

4. Você lê mensagem de quem te manda um monte de coisa sem graça? Quantidade pode prejudicar o engajamento

Não, né? Pisca lá, você olha o nome e decide, em milésimos de segundos, se vai dar atenção ou não. O assunto do seu e-mail marketing acende o mesmo comportamento. Portanto, cada palavra que vai nele tem que dar essa coceira para querer abrir.

Pense sempre estrategicamente na linha do assunto.

5. E a landing page que seu e-mail marketing chama atenção?

Sim, todo e-mail marketing tem que me levar para algum lugar! Ele não se encerra em si mesmo, o engajamento do seu email marketing pode ser mandar o usuário para uma área do site, ou uma landing page que acaba proporcionando mais direcionamento e mais direcionamento, mais conversão.

Além de ser uma ótima oportunidade também de atualizar seu cadastro e pegar mais informações. Se seu call to action for bom, muita gente da sua lista pode encaminhar a dica para terceiros. E, com a landing page com a verificação de e-mail, você otimiza essa captação. Todo e-mail será digitado certo e nada de e-mails fantasmas.

Tem jeito certo de fazer uma landing page? Tem! Se a sua ferramenta tem esse recurso, há templates que ajudam a orientar, oferecendo blocos de conteúdo para você customizar. Tem que ser funcional e atraente. Capriche na imagem que vai ancorar seu material. E, na descrição, aproveite para usar palavras que seu público usa no dia a dia.

6. Como fazer e-mail marketing sem … e-mails?

Mágica não existe.
Comprar mailing – NÃO FUNCIONA!
Trocar mailing _ NÃO PODE MAIS!
Olho na LGPD!

Invista em campanhas de captação de e-mails consistentes, com temas que façam parte do universo em comum entre seus produtos/ serviços e as pessoas que precisam e podem pagar por eles. Redes sociais e eventos online têm sido as melhores opções de captação. E, de novo, cuidado na hora de captar. Sabia que mais de 20% dos leads vão para o lixo por causa de erros de digitação ou de e-mails fakes? Instale o API para verificar email em tempo real. Você dá uma chance a quem quer se inscrever e digita errado. E não perde o lead logo de cara.

7. Atenção à entregabilidade

Ops! Entrega de emails e entregabilidade não são a mesma coisa. Você já sabe, né?

Entrega é a sua capacidade de entregar emails a um provedor, sem ser bloqueado. Entregabilidade é sua capacidade de “convencer” o provedor a direcionar suas mensagens para a caixa de entrada ao invés da caixa de spam (lixo eletrônico).

Papo para você virar nerd: existem 7 fatores para a entregabilidade funcionar bem no email marketing:
. autenticações configuradas (como DKIM, DMARC, etc)
. equalização de volumes (não fazer incrementos de volume de envio, sem planejar o aquecimento de IPs – warmup)
. código-fonte (não inserir elementos no email que possam acionar mecanismos antispam, como nomes de medicamentos, palavrões, etc)
. gestão de complaints (número de reclamações “isto é spam” dos provedores – quanto menos, melhor)
. engajamento (quanto mais pessoas da sua lista abrirem os seus e_mails maior a chance de ser direcionado para o inbox)
. BOUNCES: não tenha emails inválidos na sua base. Isso irá ocasionar bloqueios muito severos e blacklisting, que é quando o provedor adiciona você a listas de bloqueios.
. SPAMTRAPS: Jamais tenha esses caras na sua lista. Eles são muito prejudiciais e causa bloqueios, às vezes irreversíveis, no seu email marketing.

Aqui a gente explica mais sobre eles – Saiba os tipos de emails que detonam a sua reputação

Dica: Valide seus emails com a SafetyMails para não ter sua entregabilidade reduzida e afetar o seu engajamento.

8. Responsivooooooo e cognitivo

Seu layout pode ser lindo, mas se não for funcional para leitura em um smartphone, já era.

Quatro dicas:

. Faça botões de call-to-action maiores (para que o dedo do usuário seja capaz de clicar).
. Use menos imagens para facilitar o carregamento.
. Tente uma largura menor, para evitar problemas de renderização.
. Não faça emails em imagem, porque os textos ficarão ilegíveis.

9. Monitore adequadamente seus resultados e seu engajamento

Fuja do basicão: entrega e aberturas. Isso é o mínimo. Sua campanha pode fazer melhor se você olhar os detalhes e cuidar de cada um deles.

Como assim?

Vamos imaginar: Você entregou 96% do seu email marketing. Sucesso, né? Maaas, como foi a entrega no yahoo? Aí você acaba descobrindo que mais de 90% dos seus emails desse provedor não foram entregues. Eita! Veja o panorama, a visão geral da campanha, mas analise aspectos mais focais.

Parece muita coisa, né? É o ponto de partida para resultados excelentes. Mais importante é lembrar que você não está sozinho. A gente tá aqui para trocar ideias e amadurecer o seu fluxo de e-mail marketing junto com você, sem deixar brechas para cair seu engajamento.

Bora!
De 1 a 9, falta muito?
Vamos acelerar e converter!

Como escolher a plataforma de e-mail marketing ideal para o seu negócio

Guia Definitivo de Métricas do E-mail Marketing Gratuito

SafetyMails lança evento online Email Marketing Imersão 360º