Início » O que é um email inválido e como ele pode causar desperdícios milionários
O que é um email inválido e como ele pode causar desperdícios milionários

O que é um email inválido e como ele pode causar desperdícios milionários

O que é um email inválido e por que os profissionais de email marketing, principalmente os de e-commerce, fogem tanto dele?

Vamos começar entendendo quais são os tipos de emails que mais causam estragos nas campanhas de email marketing:

  • Endereços inexistentes ou desativados em um domínio.
  • Emails com erros de sintaxe, detentores de domínios inválidos e spamtraps.
  • Descartáveis ou temporários, junk, scraped, entre outros.

Segundo a pesquisa A Qualidade das Listas de Emails no Brasil, realizada pela SafetyMails, os emails inválidos podem estar comprometendo milhões de reais.

O email marketing, que é responsável por cerca de 23% das vendas do e-commerce, representa nada menos que R$ 39 Bi de faturamento desse mercado no Brasil.

Agora, imagine 2 milhões de emails verificados e 36,5% deles não tendo validade alguma. Essa foi a conclusão da Pesquisa, que verificou a qualidade das listas de emails de 25 categorias de negócios mais populares do Brasil.

Quer obter insights valiosos sobre o seu business? Baixe a Pesquisa gratuitamente!

Mas como e porque emails sem validade podem afetar os negócios? É o que vamos entender a partir de agora.

O que é um email inválido no percurso do email marketing

Todo mundo que trabalha com email marketing precisa de uma ou mais listas de contatos, certo?

O objetivo é que cada contato se transforme em uma oportunidade de negócio. Porém, caso o email seja inválido, esse objetivo não se cumpre.

Os filtros antispam dos provedores são altamente criteriosos na caça aos emails suspeitos. Isso porque um email inválido ocupa espaço de banda que poderia estar sendo utilizado por uma mensagem realmente relevante para o destinatário.

Por isso, os provedores criaram as famigeradas caixas de spam, que recolhem as mensagens suspeitas, ao mesmo tempo que classificam o IP remetente como spammer.

Portanto, os profissionais de marketing por email que querem ficar longe da classificação de spammer fazem verificação de emails frequentemente.

Só assim as listas ficam livres de emails inválidos, que prejudicam não só a reputação do remetente, mas também todo o investimento de comunicação.

Gestão de listas

Tudo isso se reflete na gestão das listas de emails. Mas você sabe quando sua base está realmente pronta para o envio?

Preparamos um webinar que é um verdadeiro checklist para auxiliar você a verificar todos os pontos importantes antes de enviar os emails. Aproveite as dicas!

Sua lista está pronta para o envio? Confira neste webinar!

Como se pode ver, no universo do email marketing, tudo começa e termina com um email invalido, que prejudica todos os públicos:

  • O destinatário que não tem o menor interesse em receber spams, visto que não autorizou o recebimento.
  • Os provedores, que despendem custos para enviar os emails suspeitos para as caixas de spam e manter seus espaços de banda.
  • Os remetentes de email marketing, que têm o ROI das campanhas deteriorado.

Como se não bastasse o tamanho do estrago dos email invalido, ele ainda se subdivide em vários gêneros. Veja quais são eles a seguir!

Tipos de email que causam prejuízos

Falhas na entrega

Os bounces são emails que sofrem rejeição, ou que não conseguem chegar à caixa de entrada do destinatário por motivos temporários ou permanentes. Isso significa que uma mensagem pode sofrer bloqueio provisório ou definitivo.

Para classificar as falhas na entrega, existem duas categorias:

  • Soft bounces: são erros que tornam o email inadequado para uso, mas que ao serem corrigidos, o reabilitam para o uso. Erros de digitação no domínio (Gamil ao invés de Gmail, por exemplo); caixa cheia; problemas no servidor do destinatário, dentre outros motivos “lights” se configuram em soft bounces.
  • Hard bounces: são os erros permanentes graves, o que leva à suspeita de spam. Vejamos, a seguir, os hard bounces mais comuns:

Spamtraps

São emails fakes criados pelos provedores de email, com o propósito de identificar listas de emails compradas. A comercialização de bases é uma ação duramente penalizada, com bloqueio de campanhas e pior: envio do IP para blacklists de spam.

Essas listas ficam disponíveis publicamente para consulta, e todos os provedores de email tem acesso automático, através de seus filtros antispam.

Isso significa que apenas um spamtrap é capaz de causar um enorme estrago, como queda brusca na taxa de entregabilidade, bloquear o acesso do remetente a novos leads, perda de receita e por aí vai.

Descartáveis

São emails temporários, criados para durar apenas algumas horas ou dias. Sua presença numa lista de emails é rapidamente identificada pelos provedores, que bloqueiam a mensagem na caixa de spam e registram o IP remetente daquele email.

O email descartável é muito utilizado em formulários de cadastro. O usuário cria um email temporário para ter acesso a materiais sem desenvolver relacionamento com a fonte. Por exemplo, baixar um ebook e não receber emails do site onde ele inseriu seus dados.

Para evitar esse problema nas listas, a recomendação é que os profissionais instalem uma API de verificação em tempo real, que impede a entrada de emails inválidos nas bases, corrigindo automaticamente os emails com erros.

Emails corporativos também podem ser considerados temporários, visto que a rotatividade nas empresas desatualiza os emails rapidamente.

O que é um email junk

São usuários aleatórios, criados com sequências numéricas, frases sem sentido e até palavrões, assumindo o papel de repositórios secundários de email. Logo, o engajamento é baixo ou nenhum. E emails sem engajamento sofrem penalizações dos provedores.

O que é um email scraped

Scraped email é um endereço recolhido por uma técnica spammer que leva esse nome, para construir listas compostas pelas denominações corporativas mais comuns.

Por exemplo: financeiro@; vendas@; atendimento@ e por aí vai. Com uma base desse tipo em mãos, o spammer coleta todos os domínios prováveis e cria uma lista enorme.

Porém, como qualquer lista contendo pelo menos 3% de emails inválidos já é considerada spammer pelos provedores, essa técnica é rapidamente identificada.

Outros tipos de emails que detonam as campanhas

Você acabou de ver os emails invalidos mais comuns, porém, existem diversos outros tipos que causam muitas dores de cabeça nos remetentes de email marketing.

Listamos todos os detalhes dos emails que detonam a reputação de qualquer profissional neste artigo.

FAQ

Como os emails inválidos prejudicam os profissionais de email marketing?

Todo profissional de email marketing precisa ter uma lista higienizada e livre de bounces.

Os emails inválidos não são entregues na caixa de entrada dos destinatários e ainda classificam os IPs remetentes como spammers.

Isso causa inclusão dos remetentes em blacklists, o que leva à degradação da taxa de entregabilidade, queda no ROI das campanhas, além de impedir a comunicação com novos leads, entre uma série de outros prejuízos que são difíceis de serem revertidos.

Somente a validação de emails pode proteger listas e formulários de cadastro contra a entrada de contatos inválidos. Dessa forma, é possível se prevenir dos prejuízos causados por emails ruins.

Quais são os principais tipos de emails invalidos?

Erros de digitação no domínio, caixa cheia e indisponibilidade do servidor do destinatário são alguns exemplos de soft bounces. Já os hard bounces são os spamtraps, os emails descartáveis ou temporários, junk, scraped, entre outros.