Home » Como otimizar o envio de newsletter para emails corporativos
verificar seus e-mails corporativos é importante

Como otimizar o envio de newsletter para emails corporativos

Emails corporativos são mais seguros para a chegada de uma newsletter no inbox, pois são mais estáveis que um provedor gratuito.

Provedores tipo yahoo, gmail e similares são mais propensos a gerar erros como:

  • Emails descartáveis (criados somente para participar de uma promoção e depois são abandonados).
  • Emails que não engajam há muito tempo (existem, porém, o usuário não interage com nada).
  • Spamtraps (endereços criados pelos próprios provedores com o objetivo de identificar compradores de listas).

Por serem mais resguardados que os provedores gratuitos, os emails corporativos são valiosos para campanhas de newsletter, mas é preciso cuidado especial na hora de selecionar seus registros.

Sabe-se que a verificação de email otimiza a entregabilidade do email marketing no inbox, além de colaborar com o aumento do ROI e com a redução do Custo por Lead.

Porém, uma crença comum é a de que basta realizar a verificação de email apenas uma vez para que as campanhas de newsletter cheguem sãs e salvas no inbox do público.

Os emails corporativos têm uso e cuidados diferentes dos emails pessoais. Por isso, a SafetyMails traz este artigo para você, onde explicamos:

  • Porque o remetente da newsletter deve verificar sua lista com frequência.
  • Porque os destinatários preferem receber newsletter em sua conta primária.
  • Diferenças no horário de checagem do inbox.
  • Cuidados com a forma de cadastro.
  • Diferenças entre os emails pessoais e setorizados.
  • O perigo dos emails scraped.

O remetente da newsletter deve verificar sua lista com frequência

Quem trabalha com envio de newsletter em massa deve ficar atento a uma particularidade dos emails corporativos.

A troca e substituição dos endereços ocorre a todo momento, porque o ciclo dos emails se relaciona ao tempo de permanência de um funcionário em uma empresa. 

O Brasil conta com mais do que o dobro da média mundial de rotatividade (turnover) nas empresas, segundo dados de pesquisa da Robert Half. 

Isto é: se precisamos ter cuidado com as mudanças e abandonos de contas de emails, a atenção com emails corporativos deve ser redobrada. 

Em outras palavras, quem envia campanhas de newsletter deve se empenhar na frequência da verificação das listas, que deve ser superior àquelas adotadas para emails de domínios gratuitos.

Destinatários preferem receber newsletter na conta primária

Sabemos que praticamente todos os destinatários possuem mais de uma conta de email. 

Normalmente, uma primária (de uso mais frequente) e uma secundária (mais antiga, para recebimento de outros tipos de emails ou até mesmo abandonada por recebimento excessivo de spam).

A vantagem da conta corporativa de email é que ela funciona como conta primária do destinatário durante todo o período em que o usuário é parte de uma empresa.

Segundo dados da Zettasphre, as contas primárias de email somam uma média de 83% das aberturas, contra apenas 16% das contas secundárias de email.

Dados da DMA — Data & Marketing Association — sinalizam que consumidores estão mais suscetíveis a cadastrar seus emails primários com marcas em que confiam. 

Este é mais um dado importante para ser relembrado na hora de construir a lista de emails que receberá sua campanha de newsletter. 

Obviamente, ambos os tipos de contas de emails (pessoal e corporativa) possuem finalidades diferentes para o uso. 

A conta pessoal recebe mais newsletter promocional. A corporativa, mais newsletter relacionada ao negócio no qual o destinatário está envolvido.

Você, enquanto gestor de marketing digital, precisa conhecer estas diferenças e usá-las a favor da sua estratégia, para que a newsletter chegue até o inbox do seu público.

Diferenças no horário da checagem do inbox

É importante também levar em consideração o horário de disparo da newsletter. Cada tipo de email (pessoal e corporativo) possui horários específicos de interação e também um número médio de checagens diárias.

Emails corporativos costumam ser checados diversas vezes ao longo do dia, assim como em vários dispositivos, como smartphones e notebooks.

Assim sendo, quem trabalha com campanhas de newsletter pode (e deve) segmentar seu público de acordo com o melhor horário de acesso ao inbox.

Segundo a Hubstpot, o horário comercial conta com o maior número de leituras de emails, o que reforça a importância das bases de emails corporativos – e a sua qualidade.

Cuidados com a forma de cadastro

É sempre bom lembrar que emails corporativos possuem domínios que, eventualmente, são escritos em outros idiomas.

O destinatário, ao se cadastrar com pressa para receber sua newsletter, pode errar na digitação, trocando ou suprimindo alguma letra do email. 

Por consequência, isso causa ruído na comunicação e invalida o registro.

A digitação de formulários de cadastro também precisa ser checada, de preferência no momento em que o lead faz o cadastro.

Assim, o email inválido não chega a fazer parte das listas de endereços que receberão a newsletter.

Conheça a API de verificação de emails em tempo real da SafetyMails e proteja seus formulários de cadastro!

Diferenças entre os emails pessoais e setorizados

Os emails corporativos que optam por receber uma newsletter podem ser pessoais ou setorizados.

Isto é, podem pertencer ao funcionário ou ao cargo ocupado pelo funcionário.

Se um email é, por exemplo, “fernanda@suaempresa”, trata-se de um email pessoal que será recebido por Fernanda, e não por outra pessoa dentro da empresa.

Se um email é “rh@suaempresa”, sabemos que se trata de um email setorizado, utilizado por um profissional de RH (não há um nome especificado). 

Ou ainda, o email setorizado pode ser apenas um redirecionador para toda equipe de Recursos Humanos.

A desvantagem do email setorizado é que, quando um funcionário é substituído por outro, a conta de email permanece a mesma, só que agora, com um usuário com relações, comportamentos e preferências diferentes daquelas do usuário anterior. 

Se o funcionário anterior optou por receber sua newsletter e o atual não quiser recebê-la, ele pode ativar o botão de spam, prejudicando toda sua campanha. 

Não envie newsletter para emails scraped 

Ainda sobre os emails setorizados, quem trabalha com envio de newsletter deve manter atenção máxima ao que chamamos de emails scraped.

Endereços de emails com nomes como contato@, adm@, financeiro@, vendas@ (só para citar alguns exemplos), são captados por robôs para a construção de listas de emails.

Portanto, muito cuidado no disparo de newsletter para emails “genéricos”, pois, se forem categorizados como scraped, o nome do remetente vai parar em uma blacklist.

Ao construir sua lista de endereços para enviar uma newsletter, dê preferência aos emails corporativos pessoais.

A newsletter é uma grande oportunidade de comunicação e conversão para o seu negócio. 

Mas, como você viu, exige um cuidado especial na sua manutenção dentro dos cadastros do seu negócio. 

Fique sempre de olho e faça a validação e verificação de emails frequentemente!

Ferramentas de email marketing essenciais

5 melhores ferramentas para criar land page e gerar muitos leads

Caiu no spam? Saiba como se livrar disso!